Fest Aruanda 2020 realiza pela primeira vez uma edição online e divulga selecionados para mostra competitiva e novidades para essa edição comemorativa

Edição comemorativa acontece de 10 a 17 de dezembro

A realidade imposta pela covid-19, com os cinemas fechados ou ainda com muitas restrições, levou os eventos audiovisuais para a internet -  e esses foram os fatores que também levaram o diretor executivo do Fest Aruanda, Lúcio Vilar, a repensar procedimentos para a edição comemorativa dos 15 anos do festival e dos 60 anos do filme que dá nome ao evento (‘Aruanda’, 1960). "Prevaleceu a “sensatez e a prudência”, como ele enfatiza, para a decisão final de realização em formato híbrido, ou seja, de forma presencial e on-line.

Assim, serão duas sessões presenciais, respeitando todos os protocolos sanitários já seguidos pela rede Cinépolis no Brasil, com metade da lotação da sala, uso de máscaras, etc. Sessão de abertura (dia 10) e de encerramento (dia 16) com exibições presenciais respectivas dos longas documentais ‘Os Quatro Paralamas’, de Roberto Berliner e ‘Me Chama Que Eu Vou’, de Joana Mariani. As demais sessões ,a partir do dia 11 até 16 de dezembro, serão totalmente on line, pela plataforma elaborada pela empresa Nuvem, de Curitiba-PR. A linha curatorial do festival, assinada pelo jornalista Amilton Pinheiro (paraibano radicado em São Paulo), “transita, esse ano, por temas que estão na ordem do dia, no Brasil, como as questões indígenas, pautas identitárias, raciais, intolerância, ditadura militar e suas implicações nos anos 70 e o país, hoje, em turbulência com ameaças à sua jovem democracia”, apontou Vilar.

Como sempre, a programação está distribuída entre curtas e longas das mostras Competitiva Nacional e Sob o Céu Nordestino, somando 42 filmes que poderão ser acessados a partir do site www.festaruanda.com.br para todo o Brasil e o mundo.

Durante o Festival, as manhãs sempre serão dedicadas com os debates dos filmes exibidos na noite anterior com os representantes de cada filme e com mediação do curador e diretor artístico do Fest Aruanda, Amilton Pinheiro. Curta metragens, sempre às 9h (Diálogos Audiovisuais Aruanda-Cagepa I)

Os longas também terão debates com os representantes de cada filme e com mediação do jornalista e crítico de cinema Marcus Mello (Diálogos Audiovisuais Aruanda-Cagepa II).

A critica de cinema e moderadora de debates do Fest Aruanda, Maria do Rosário Caetano estará em quatro mesas, discutindo diversos assuntos: Cinema Negro e o racismo no Brasil; A permanência de Aruanda – 60 anos depois, Fronteiras e bifurcações do cinema não ficção na contemporaneidade: Entre narrativas e novas linguagens e uma última mesa com as homenageadas Helena Solberg e Vania Perazzo.

Com Patrocínio do Grupo Energisa, Fundação Cultural OJB, CAGEPA, Lei de Incentivo à Cultura, Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal; Copatrocínio: Armazém Paraíba e Cinépolis; Apoio Cultural:   e Armazém Paraíba; Apoio: TV Cabo Branco, TV Cultura, Governo da Paraíba, FUNESC, Rádio Tabajara, A União e EPC;  Apoio Institucional: UFPB,CCHLA, DEMID, Prefeitura de João Pessoa e FUNJOPE e Parcerias:  Lusófona, Manaíra Shopping, Fórum Setorial do Audiovisual Paraibano, Janela7, Canal Brasil, TV UFPB e Realização da Bolandeira, o 15º Fest-Aruanda do Audiovisual Brasileiro, agradece este ano um número recorde de inscrições que surpreendeu sua organização.

Toda programação pode ser conferida pelo site que contém diversas atividades entre os dias 10 e 17 de dezembro. Edição comemorativa de 15 anos completas de novidades.