Estudo da UFPB aponta que pandemia do coronavírus deve acabar em setembro, na Paraíba

A estimativa é resultado de dados da primeira edição do relatório técnico acerca da pandemia na Paraíba

Um relatório do Laboratório de Amostragem e Metodologia de Pesquisa, do Departamento de Estatística da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), revelou que a pandemia do coronavírus deve acabar em meados de setembro, início de outubro deste ano na Paraíba.

A estimativa é resultado de dados da primeira edição do relatório técnico acerca da pandemia na Paraíba, considerando os meses de abril a julho deste ano, com a apresentação de mapas e dados sobre a doença. O relatório pode ser visto no endereçoeletrônico: (www.obsrpb.com.br/ufpb).

“Comparando a evolução das previsões, em um intervalo de 1 semana, podemos observar um aumento médio de 3 a 5 dias ao número de dias até o final da pandemia para o Brasil. Na Paraíba, estima-se um aumento médio de 4 a 6 dias ao número de dias até o final da pandemia”, aponta o relatório. “Tais previsões consideram a hipótese de que continuamos próximos ao pico da Pandemia no Brasil ainda em um momento ascendente da curva na Paraíba”.

O relatório ressalta, entretanto, que essas previsões podem ser alteradas a partir da inclusão de novas informações ou correções necessárias nas bases oficiais de dados. Os dados estarão sendo revisados semanalmente, o que deverá resultar em novos parâmetros e resultado, para melhor ou para pior quadro da doença.

Sobre o gráfico que aponta a distribuição dos 223 municípios da Paraíba, segundo classificação baseada em valores apresentados pelo número de reprodução atualizado em 12 de julho deste ano, foram divididos em valores de reprodução de cada município em quatro grupos de cores. Os dados mostram que 57 municípios estão classificados na cor verde; 103 estão classificados na cor amarela; 8 estão classificados na cor laranja; e 55 estão classificados na cor vermelha.

O observatório de Síndromes Respiratórias monitora doenças como Covid-19, Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), Gripe pelo vírus influenza Pneumonia e Tuberculose, por meio de indicadores, análises, mapas e gráficos, a fim de viabilizar tomadas de decisão em saúde.

Observatório é constituído por um grupo de pesquisadores e colaboradores das áreas de Estatística, Matemática, Pesquisa Operacional, conforme pode ser acessado nos respectivos currículos individuais de cada um na Plataforma Lattes.