Paraíba - Todos os Cantos

Um giro pelo turismo da Paraíba

Teixeira (Foto Teresa Duarte)
O município de Texeira, distante 320 km de João Pessoa, é um convite para o turismo de aventura. É lá que fica a famosa Pedra do Tendó, bloco cristalino rochoso que tem 800 metros de altitude e uma dimensão de 2 mil metros quadrados. Essa formação da rocha granítica, que impressiona com seu tamanho, foi o cenário escolhido para realização do Circuito Som nas Pedras do ano passado. A Pedra do Tendó fica distante, aproximadamente três quilômetros da cidade de Teixeira e faz parte da reserva ecológica criada no dia 16 de outubro de 1992. O lugar proporciona uma imagem belíssima e panorâmica do Vale das Espinharas que encanta nossos olhos do visitantes.

Ingá
O secretário de turismo do município de Ingá, Vavá da Luz, já recebeu parecer positivo da Procuradoria Geral do Estado para a reabertura a visitação do Parque Arqueológico Itacoatiara de Ingá. No momento, o secretário está aguardando autorização da prefeitura municipal para anunciar o dia da reabertura, onde será mantido para visitação, todos os  protocolos e normas sanitárias em vigor. Sítio Arqueológico da Pedra do Ingá é patrimônio histórico-cultural tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN em 1944, localizada no Município de Ingá.

Princesa Isabel (Foto Roberto Guedes)
Distante 413 km de João Pessoa o município de Princesa Isabel, é um convite ao turismo histórico e cultural da Paraíba. O município, há 90 anos, foi palco em 1930 da Revolta de Princesa, sob o comando do Coronel José Pereira, considerada a mais decisiva do século 20, na Paraíba, em que pese os desdobramentos históricos, no âmbito estadual, conflito que levou o nome da cidade para o cenário nacional. No Palacete José Pereira o seu bisneto Thiago Pereira preserva um pouco da história que é retratada em fotografias, poucos móveis e utensílios domésticos da casa do Coronel José Pereira. Na sala principal do Palacete José Pereira, ele expõe um espelho de cristal que foi um presente no casamento do seu bisavô, uma bela cristaleira, chapeleiro, relógio e uma mesa muito bem conservada com cerca de cem anos que pertenceu ao sogro de Zé Pereira, que o presenteou. A visitação é feita por agendamento.

Maturéia I (Foto em destaque)
O município de Maturéia retomou as suas atividades turísticas no último sábado (18), respeitando todos os cuidados determinados pela Organização Mundial da Saúde. Se você gosta da engenharia dos antigos casarões do Nordeste, pode vivenciar uma época remota no Casarão do Jabre – Pousada, Restaurante e Museu. Um belíssimo e bem conservado casarão abriga a pousada e um restaurante com comidas típicas da região feitas no forno a lenha trazendo aquele saudoso sabor tradicional do feijão verde, macaxeira, bode guisado, galinha e de sobremesa, doces caseiros com queijo coalho. O Casarão do Jabre possui 11 apartamentos com instalações de casas rústicas, um redário que dá ao hóspede toda a visão do Pico do Jabre, área para acampamento, um espaço bem projetado para observação estrelar, além do museu composto por relíquias que revelam a história de luta e perseverança da família Dantas. Já no pé da subida da ladeira para o Pico do Jabre, está instalada a Pico do Jabre Ecopousada, com diárias no valor de R$ 160 por pessoa, e R$ 200 em pequenos chalés que comporta uma família, enquanto que crianças até 10 anos, não pagam. O proprietário da pousada, Eduardo Dantas, além da hospedagem, oferece aos turistas caminhadas ecológica, passeio de caiaque pelo açude, traslado num veículo 4×4 para subir ao Pico do Jabre.

Maturéia II (Foto Teresa Duarte)
O município é rico em atrativos para os amantes da natureza porque é nele que está localizado o belo Parque Estadual Pico do Jabre. O Pico do Jabre é considerado o ponto mais alto da Paraíba, com 1.197 metros de altitude, na Serra da Borborema, fica situado entre os municípios de Mãe D’água e Matureia, um dos ecossistemas mais ricos da Paraíba, abrigando árvores típicas da mata úmida e elementos da Caatinga. Aqueles que gostam da caminhada existem trilhas dentro da mata onde as pessoas podem cruzar com alguns animais de várias espécies, a exemplo dos macacos, répteis, mocó, tamanduá, gato maracajá, raposa, veado catingueiro, aves raras, entre outros. A lajedo da Pedra do Caboclo, que foi palco do Circuito Som nas Pedras do ano passado, para aqueles que querem apreciar a natureza sem muito esforço é a trilha ideal, pois é um percurso pequeno contemplando o conato dos pássaros som natural.